Como a diplomacia se equilibra no dilema entre persuadir ou excluir adversários

Testes atômicos da Coreia do Norte dividem líderes sobre dialogar ou endurecer com governos que desafiam resoluções internacionais

     

    O presidente russo, Vladimir Putin, defendeu nesta segunda-feira (15) a “retomada do diálogo” com a Coreia do Norte. Ele afirmou também que é preciso “parar de intimidar” o regime encabeçado pelo ditador Kim Jong-un.

    A declaração do líder russo destoa do padrão agressivo que vem sendo seguido sobretudo pelos EUA para lidar com os testes de armas atômicas realizados pelo governo norte-coreano.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.