5 edificações brasileiras essenciais e uma reflexão sobre a ideia de ‘arquitetura nacional’

A partir da década de 1930, a arquitetura moderna brasileira fixou um imaginário específico sobre a arquitetura nacional, que ainda persiste

     

    “Poucas expressões artísticas no país ao longo do século 20 foram capazes de cristalizar uma imagem tão bem-sucedida quanto a moderna arquitetura nacional”, escreve o arquiteto José Lira, autor do livro “O visível e o invisível na arquitetura brasileira”, lançado em 2017. Lira é professor da FAU-USP, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

    Essa imagem é conhecida e reconhecível, feita de linhas arrojadas, volumes vazados e longas superfícies que fogem ou refluem do horizonte, descreve o arquiteto no livro. Seu texto ensaístico antecede fotografias de 16 obras projetadas por diferentes arquitetos brasileiros entre as décadas de 1930 e 1960, todas tombadas.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.