Como funcionam os aplicativos de consumo consciente de roupas

Tecnologias ajudam pessoas a renovarem o armário de forma personalizada e gastando menos

     

    Nos últimos tempos, inúmeras iniciativas de economia alternativa têm surgido, impulsionadas pelas facilidades de comunicação fornecidas pela internet. Sites e grupos no Facebook, há alguns anos, propõem a troca de livros, móveis, ingressos de show e serviços (aulas de inglês por reparos na casa, por exemplo). Agora, surgem aplicativos dedicados inteiramente à prática do escambo — em particular, de roupas.

    Um exemplo é o recém-lançado no Brasil Roupa Livre, descrito como uma espécie de Tinder das roupas. Nele, um usuário pode cadastrar uma série de peças que não quer mais. Elas então entram para o catálogo do app.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.