Como a crise na Venezuela impacta Roraima, segundo esta ONG de direitos humanos

Relatório da Human Rights Watch analisa dois efeitos principais: sobrecarga nos sistemas de saúde do Estado e nas solicitações de refúgio

     

    O atendimento médico e o sistema de análise das solicitações de refúgio são os dois serviços públicos mais afetados pelo crescimento no fluxo de imigrantes venezuelanos em direção a Roraima, Estado da região Norte do Brasil. A constatação é da ONG de direitos humanos Human Rights Watch, em relatório divulgado nesta terça-feira (18).

    Fontes oficiais ouvidas pela organização apontam que mais de 12.000 pessoas atravessaram a fronteira da Venezuela para o Brasil desde 2014 fugindo da crise política e econômica que atinge o país. O numero vem aumentando anualmente. Algumas dessas pessoas são "imigrantes temporárias", ou seja, voltam para casa após conseguir juntar algum dinheiro ou satisfazer as necessidades mais urgentes que as fizeram atravessar a fronteira. Outras permanecem em solo brasileiro.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.