O que é a nova onda da ‘body neutrality’, um meio termo entre odiar e amar o próprio corpo

O discurso que prega que amemos nossos corpos se alastrou. Mas há quem defenda outra abordagem: neutra, de aceitação e sem culpa

     

    Discursos recentes, feministas e de combate à gordofobia, têm encorajado mulheres a amarem seus corpos. Essa atitude positiva em relação ao próprio corpo é proposta e percebida como um ato revolucionário. O objetivo é empoderar as mulheres e questionar o padrão que define o culto à magreza como a única forma possível de beleza.

    Há, no entanto, um movimento nos EUA que identifica problemas e simplificações nessa retórica. Ele quer substituir a positividade pela “body neutrality” (neutralidade corporal, em uma tradução literal). Isso mostra que a onda de amar o próprio corpo, chamada em inglês de “body positivity”, já passa por uma revisão no país.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.