Qual o impacto do fim dos cobradores de ônibus, segundo estes 2 especialistas em transporte

Prefeito de São Paulo pretende acabar com a função na cidade. Engenheiros especializados em transporte público concordam, mas com ressalvas

    O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), promete extinguir a função de cobradores nos ônibus da cidade até 2020, quando termina seu mandato. A proposta não é nova e, sempre que trazida à tona, exalta humores. Não à toa: cerca de 20 mil trabalhadores seriam diretamente afetados.

    A função de cobrador no transporte público paulistano é garantida pela lei municipal 13.207/2001, que determina a presença de mais um funcionário, além do motorista, em todos os ônibus da cidade.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.