O que as músicas que não saem da cabeça têm em comum. E uma estratégia para se livrar delas

Quanto mais uma música toca, mais ela ‘gruda’. Mas não é só isso que explica o fenômeno, segundo um estudo feito no Reino Unido

     

    É comum que uma música fique na cabeça depois de ser ouvida repetidamente, seja no rádio ou em festas. Associações da memória, quando vemos ou escutamos algo que lembre uma música, também são capazes de fixar uma música na cabeça, mesmo que ela não tenha sido ouvida recentemente.

    Mas não é só isso que explica esse fenômeno da “música chiclete”. Um estudo publicado em 2016 pela Associação Americana de Psicologia investigou qual o traço comum entre essas canções. Elas foram comparadas a outras, muito populares, mas que não se “tocam” sem parar na cabeça.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.