Ir direto ao conteúdo

Como praticar (qualquer coisa) de maneira eficaz

Repetir a tarefa várias vezes ao longo do dia, com intervalos, e até imaginar estar treinando estão entre as dicas

 

A prática leva à perfeição, diz o ditado. E diversos estudos já tentaram decodificá-la em termos numéricos, na tentativa de elaborar uma fórmula para quanto é preciso praticar para se chegar à excelência, seja em um arremesso de basquete ou tocando um instrumento.

O número de horas não é a única coisa que conta quando se treina uma habilidade. A qualidade e eficácia com que se pratica também fazem diferença, é o que mostra um vídeo recente do canal “TED Ed”, o canal educativo da empresa TED, que dá dicas para praticar atividades com eficiência.

A aula dada no vídeo animado foi criada por Annie Bosler, musicista e professora, e Don Greene, psicólogo especialista em treinar músicos para atingirem sua melhor performance.

Como praticar com eficácia, segundo os especialistas

  • Focar inteiramente na tarefa, minimizando distrações (desligar computador, TV e colocar o celular no modo avião) e direcioná-la para uma fraqueza, em vez de praticar o que se sabe
  • Começar devagar: a coordenação de um movimento vem com sua repetição. Aumentar a velocidade pouco a pouco aumenta as chances de fazer algo da maneira certa
  • Quebrar o treino em práticas curtas e intensivas, totalmente concentradas: várias vezes por dia, com pausas
  • Em outros momentos em que não estiver praticando, fazer o exercício de imaginar, nos mínimos detalhes, estar praticando. Segundo o vídeo, estudos comprovam que imaginar, nota por nota, estar tocando uma música sem tocá-la, ou realizando um movimento, no caso de um esporte, reforça a habilidade quase tanto quanto a prática real

Por que a repetição aprimora a habilidade

Muitos atletas atribuem seu sucesso à memória dos músculos, que na verdade não têm uma memória. A prática atua no cérebro fazendo com que a informação seja transmitida mais rapidamente aos músculos que executam a atividade, qualquer que ela seja.

Segundo explica o vídeo do “TED Ed”, o cérebro tem dois tipos de tecido nervoso: a matéria cinzenta e a branca. A primeira processa informações, direcionando estímulos e sinais às células nervosas. A outra é composta, basicamente, de fibras nervosas e mielina, membrana que envolve certos neurônios, e estabelece vias de comunicação entre o sistema nervoso central e os locais externos, assim como entre regiões do sistema nervoso central.

É a mielina, a camada de gordura que envolve células nervosas, que sofre alterações quando se pratica o que quer que seja. Ela é, segundo o vídeo, similar a um isolante de cabos elétricos: previne a perda de energia dos impulsos que o cérebro usa, movendo-os com maior eficiência no caminho que percorrem. Alguns estudos feitos em ratos mostram que a repetição de um movimento aumenta essa camada isolante e, assim, forma uma “estrada de alta velocidade” para a informação que viaja do cérebro aos músculos.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

Mais recentes

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!