A relação entre os novos filmes sobre racismo e a violência policial, segundo esta pesquisadora

Para Suzane Jardim, que estuda dinâmicas raciais, três documentários que concorreram ao Oscar de 2017 usam a causa negra para fazer a população branca pensar em seus privilégios

    Dos cinco longas-metragens que concorreram ao Oscar de melhor documentário em 2017, três — “O.J.: Made in America”, “A 13ª emenda” e “Eu não sou seu negro” — são produções que retratam, cada qual a partir de uma perspectiva, o racismo nos Estados Unidos.

    Alimentando o surgimento dessas obras cinematográficas, há uma força evidente e ainda muito atual: a violência da polícia contra jovens negros. É a avaliação que faz Suzane Jardim, historiadora, educadora e pesquisadora de dinâmicas raciais da USP.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.