Ir direto ao conteúdo

Hall da fama dos compositores tem seu 1º rapper. Qual a importância da conquista de Jay Z

Músico é uma das figuras mais importantes do hip hop. O 'Nexo' perguntou a um especialista o que há de especial nas suas rimas e o que sua entrada para o hall da fama dos compositores significa

    Temas
     

    O hall da fama dos compositores é uma fundação criada em 1969, baseada nos EUA e destinada a reconhecer o trabalho de compositores da música popular do mundo todo.

    Em 48 anos de existência e com pouco menos de 400 compositores que fazem parte do “hall”, segundo seu site, o rapper americano Jay Z é o primeiro artista do gênero a receber a honraria. A cerimônia de admissão acontece em junho.

    O rapper disse em seu Twitter que se lembrava de quando dizia-se que o rap era uma moda que iria passar, e que agora ele estava no mesmo patamar de alguns dos maiores compositores da história.

    Ele também lançou uma playlist comemorativa em seu serviço de streaming, o Tidal, que inclui clássicos do Hip Hop, de Public Enemy a Kanye West. 

    Jay Z vendeu mais de 100 milhões de álbuns no mundo todo e chegou ao número 1 no Top 100 da Billboard em 2009, com a música “Empire State of Mind”, atingido um público para além dos fãs de rap. Seus álbuns “Reasonable Doubt” (1996), “The Blueprint” (2001) e “The Black Album” (2003) são considerados marcos na história do rap e estão na lista de 500 melhores álbuns de todos os tempos da revista “Rolling Stone”.

    O rapper tem no currículo, além disso, 21 prêmios e 64 indicações ao Grammy, o que o torna o décimo artista mais premiado pela indústria fonográfica da história, segundo o site especializado “Rap Genius”. E protagoniza a lenda do rapper que nunca  coloca suas letras no papel, sendo considerado um dos rappers com o melhor “flow” (no rap, a levada e o “encaixe” dos versos na batida) do gênero. 

    O Nexo perguntou a Michael Eric Dyson, professor da Universidade de Georgetown nos Estados Unidos que leciona uma disciplina inteira sobre o rapper, colaborador do “New York Times” e do site New Republic, o que há de especial nas rimas de Jay Z e o que a entrada para o hall da fama dos compositores significa para o rap.

    Jay Z é muito popular nos EUA e no mundo todo. Por que os compositores de rap são menos reconhecidos como tais do que aqueles que compõem para outros gêneros?

    Michael Eric Dyson  O preconceito contra a arte negra está profundamente entranhado na cultura americana e global. A suspeita em relação à humanidade negra e o ceticismo sobre a inteligência negra se combinam na negação da legitimidade da criatividade negra. O hip hop foi especialmente vulnerável a isso. Acrescente a isso tensões geracionais e conflitos entre classes sociais diferentes dentro da cultura negra, e [por conta disso] o hip hop teve que superar obstáculos maiores do que outros gêneros musicais negros. Como foi difícil para o hip hop ser reconhecido como uma forma de arte legítima, seus compositores foram igualmente subvalorizados.

    O que você considera especial na maneira que Jay Z escreve e rima? Quais temas ele traz para quem o escuta?

    Michael Eric Dyson  Jay Z escreve oralmente, com técnicas de memorização que o ajudam a lembrar as letras, já que ele não as escreve [no papel]. Por si só, isso já é notável. Aí ele coloca camadas de duplos e triplos sentidos em seus raps, jogos de palavras inteligentes, trocadilhos, vários ritmos, velocidades, cadências e “flows”. Na temática, ele já explorou diversas dimensões da expressão arquetípica do caráter americano: dar golpes.

    Ele explorou de maneira brilhante, vigorosa e criativa - e exaustivamente - as dimensões previsíveis e surpreendentes da vida de um vigarista: suas motivações, desejos, dilemas, limites e aspirações, assim como suas consequências, contradições e paradoxos. Ele jogou luz sobre essa vida como pouquíssimos artistas e pensadores.

    Qual a posição que ele ocupa na história do hip hop americano?

    Michael Eric Dyson  Ele é regularmente considerado como um dos maiores rappers de todos, senão a maior figura que já surgiu na história do Hip Hop.

    O que sua consagração como primeiro compositor de rap a fazer parte do hall da fama dos compositores significa para essa mesma história? O que isso representa para o hip hop?

    Michael Eric Dyson  Significa a aceitação total e a maturidade de uma forma de arte da qual fazem parte alguns dos maiores artistas americanos da história. É o reconhecimento final da ingenuidade e invenção do hip hop.

    Qual rima ou estrofe você considera a mais inteligente dele? Você pode explicar por quê?

    Michael Eric Dyson  "No matter where you go, you are what you are player/And you can try to change but that's just the top layer/Man, you was who you was 'fore you got here.", da música “Public Service Announcement”. 

    Esses versos atingem uma concepção complexa da identidade humana - um sentido filosófico e uma referência retórica rica à permanência da identidade apesar da alteração de elementos externos. Ele está construindo um argumento sobre a identidade que sugere que ela é ao mesmo tempo móvel (“no matter where you go”, não importa aonde você vá); permanente (“you can try to change”, você pode tentar mudar); ilusória (“but that’s just the top layer”, isso é apenas o mais superficial) e temporal (“you was who you was 'fore you got here”, você era quem você era antes de chegar aqui).

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: