O que a liga de futebol americano tem feito para prevenir danos no cérebro dos jogadores

Críticas de jogadores e médicos à NFL impulsionaram a criação, em 2013, de um procedimento de saúde em todas as partidas; protocolo foi incrementado ao longo dos anos

    O Super Bowl, partida final da liga de futebol americano, ocorre neste domingo (5) entre os times do Atlanta Falcons e do New England Patriots, com show da cantora Lady Gaga no intervalo. Trata-se do evento de maior audiência da TV dos EUA. Em 2016, 111 milhões de pessoas assistiram ao jogo, mais de um terço da população do país.

    A partida ocorre num momento em que a saúde dos jogadores ganha espaço no debate sobre o esporte. Mais especificamente, as concussões causadas pelos impactos do jogo. Isso mesmo depois da entrada em vigor, em 2013, do chamado “protocolo de concussão”, um conjunto de etapas com o intuito de identificar possíveis danos cerebrais em jogadas de forte impacto.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.