As animações que abordam gênero, etnia e orientação sexual sem reproduzir preconceitos

Desenhos dos canais Cartoon Network e Nickelodeon fogem de estigmas ao apresentar questões sobre identidade

    Algumas animações de sucesso hoje assistidas pelo público infantil, como “Hora da Aventura”, “Steven Universo” e “Avatar: A lenda de Korra” têm algo em comum: levaram para a TV questões de gênero, raça e orientação sexual.

    Para dois pesquisadores da Universidade Estadual de Londrina, os desenhos animados têm um papel importante na representação da diversidade, inserindo personagens que se assemelham a pessoas que poderiam ser alvo de preconceito.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.