Moreira Franco vira ministro e ganha foro especial: semelhanças e diferenças do caso Lula

Nomeação foi recebida de forma negativa pela oposição, que lembrou a liminar do Supremo Tribunal Federal impedindo o ex-presidente de assumir a Casa Civil, e criticada por alguns apoiadores do Palácio do Planalto

     

    A decisão do presidente Michel Temer de alçar Moreira Franco à condição de ministro da Secretaria-Geral da Presidência foi recebida de forma negativa pela oposição e até por parte da base de apoio do Palácio do Planalto. A crítica se deve ao fato de o peemedebista ganhar foro privilegiado logo após a validação das delações premiadas de executivos da Odebrecht na qual ele é citado dezenas de vezes.

    Moreira Franco é um aliado antigo de Temer e um dos articuladores do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Após a queda da petista, foi nomeado secretário-executivo de parcerias de investimento, responsável pela política de concessões e privatizações do governo, e sem status de ministro.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.