Quais os argumentos de quem defende tratamento alternativo para usuários de crack

O Brasil tem três iniciativas de atendimento que não exigem que usuários parem de usar a droga: no Estado de Pernambuco e nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo

Pelo Brasil inteiro, proliferam-se zonas de consumo de crack ao ar livre, apelidadas de cracolândias. O poder público é frequentemente cobrado a encontrar formas de lidar com esses locais e os usuários que se concentram neles.

Uma abordagem comum é tratar esses usuários como pessoas fora de controle que precisam principalmente de atendimento médico, preferencialmente com internações, para que sejam auxiliadas a abandonar o uso de drogas completamente e, a partir daí, seguir com suas vidas.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.