Como uma investigação internacional levou o Cade a multar 5 bancos por cartel

Órgão de defesa da concorrência aplicou multa de R$ 183 milhões e abriu nova investigação para apurar manipulação de taxas de câmbio

     

    O governo brasileiro começou a punir bancos acusados de participar de um esquema internacional de manipulação de taxas de câmbio. No dia 7 de dezembro, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) anunciou que cinco bancos aceitaram assinar um acordo em que admitem participação em cartel no mercado de câmbio no exterior, envolvendo o real e moedas estrangeiras, e se comprometem a interromper práticas contrárias à livre concorrência. 

    O primeiro banco a colaborar com as autoridades brasileiras foi o UBS, que assinou em julho de 2015 um acordo de leniência (equivalente à delação premiada para empresas) que deu início às investigações. Como a lei brasileira só dá leniência ao primeiro colaborador, as outras instituições dispostas a colaborar tiveram de pagar multas.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.