Como a promessa de vetar a anistia ao caixa dois impacta a governabilidade de Temer

Disposição do presidente de impedir iniciativas que favorecem investigados da Lava Jato vai influenciar sua agenda, que inclui a PEC do Teto e a reforma da Previdência? Dois cientistas políticos respondem

     

    O presidente Michel Temer convocou uma entrevista coletiva para a tarde de domingo (27). O chamamento foi feito no dia anterior, fora da agenda formal, com ares de urgência.

    Ao lado dos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-RN), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Temer disse que o motivo da entrevista era para comunicar que há um acordo “institucional” para barrar projetos que proponham anistia ao crime de caixa dois eleitoral ou a qualquer iniciativa que pudesse beneficiar parlamentares investigados pela Operação Lava Jato.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.