Ir direto ao conteúdo

Quais são as técnicas que ajudam os aviões a parecerem maiores por dentro

Iluminação, altura do assento e janelas ajudam a reduzir a sensação de aperto no interior das aeronaves

     

    Surgidas na década de 90, companhias aéreas de baixo custo respondem hoje por cerca de metade de todos os voos da Europa ocidental e dos Estados Unidos.

    Elas oferecem preços extremamente competitivos a passageiros que concordam em voar com menos confortos. Para isso, levam a extremos o esforço de fazer caber o maior número de pessoas possível em uma aeronave.

    Mesmo antes do aumento do aperto no interior dos aviões, as companhias já recorriam a técnicas de design que ajudam a fazer com que as cabines, ou seja, os locais em que os passageiros se sentam, pareçam maiores.

    Janelas

    Em entrevista ao canal de vídeos DNews, Blake Emery, diretor de estratégia da Boeing, afirmou que “quando você voa de avião, uma das necessidades que tem é a de estar conectado com o céu”.

    O contato com o exterior passa a sensação de espaço livre. Janelas diminuem a sensação de claustrofobia. Ironicamente, olhar para fora diminui o medo de voar de muitos passageiros.

    Por esse motivo, muitos fabricantes de avião investem em janelas maiores e planejam suas posições de forma que o maior número de passageiros possível tenha acesso a uma, afirma Emery.

    Curvas e luzes

    Em entrevista publicada em maio de 2015 pela revista britânica “The Economist”, Emery afirmou que curvas acentuadas no teto e luzes azuis ajudam a gerar a sensação de que o espaço está se expandindo acima das cabeças dos passageiros.

    Além disso, usar luzes brancas em superfícies verticais, como as paredes, ajudam a criar a ilusão de que a largura é maior do que a realidade.

    Luzes também são utilizadas para diminuir o desconforto de passageiros, especialmente em voos longos. Apesar de não passarem a impressão de que a cabine do avião é maior, mudanças da intensidade da luz são bem-vindas porque ajudam a quebrar a monotonia do ambiente, especialmente em voos longos.

    Elas também ajudam a marcar a hora de dormir ou de servir as refeições, o que aumenta o conforto dos passageiros.

    Largura máxima

    Como a cabine do avião tem formato cilíndrico, sua largura não é uniforme. Ela segue a curvatura das paredes do avião, por isso é menor próximo ao chão e ao teto, e maior no centro.

    Segundo a neurocientista Rachelle Ornan-Stone, especializada em psicologia experimental e design industrial e funcionária da Boeing, as cabines são planejadas de maneira que a largura máxima seja atingida em uma altura de 127 cm a partir do chão.

    Isso é feito porque essa é altura média na qual os olhos dos passageiros ficam quando estes estão sentados.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes

    Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

    Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
    Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!