Alberto Youssef, o doleiro que Moro perdoou duas vezes

Ele foi preso no caso Banestado, solto após fechar delação, e preso de novo na Lava Jato. Agora, vai cumprir a pena em casa por voltar a colaborar com a Justiça

     

    O doleiro Alberto Youssef é uma das figuras centrais do maior escândalo de corrupção já revelado no Brasil. Preso ainda na primeira fase da Operação Lava Jato, em março de 2014, ele foi acusado de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, evasão de divisas, uso de documentos falsos e sonegação.

    Na prática, ele operava um complexo sistema de lavagem de dinheiro desviado de contratos superfaturados entre empreiteiras e a Petrobras. Dinheiro esse que ia parar nas mãos de políticos do Partido Progressista, um dos aliados dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff responsáveis pela indicação de funcionários-chave dentro da estatal petrolífera, como o ex-diretor Paulo Roberto Costa.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.