O conselho de medicina paulista e a descriminalização da maconha

Órgão defende descriminalização do porte em meio a julgamento do Supremo sobre a Lei de Drogas

    O Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) emitiu uma nota pública a favor da descriminalização do porte de maconha para uso próprio no Brasil. O documento partiu de uma reunião da câmara técnica de psiquiatria do órgão, datada do final de setembro, mas foi tornado público apenas no início de novembro.

    Segundo o advogado Emílio Nabas Figueiredo, que defende usuários de maconha para fins medicinais e é especializado na temática de drogas, o posicionamento do Cremesp é inédito. “Não conheço uma nota como essa de uma entidade representativa da área de saúde, muito menos com a importância do Cremesp, que representa o Estado mais rico do país”, afirma.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.