O debate sobre o currículo flexível na reforma do ensino médio

Medida Provisória permite a escolha entre ‘áreas do conhecimento’ no último um ano e meio da formação escolar. O que isso quer dizer?

     

    No dia 23 de setembro, o governo federal divulgou seu plano para a reforma do ensino médio, última etapa da educação básica. Controverso, o projeto foi duramente criticado por setores educacionais por ser publicado como Medida Provisória, sem diálogo com a sociedade, e por tirar a obrigatoriedade de disciplinas como educação física e artes.

    Entre inúmeros outros pontos, a reforma pretende promover uma flexibilização do currículo acadêmico. O objetivo é que, assim, estudantes tenham maior autonomia em relação à sua formação, sendo atraídos para o estudo, já que poderão focar mais em seus temas de predileção. Segundo o governo, essa é uma forma de reduzir o grande índice de evasão escolar nacional.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.