Você sabe qual é a história da invenção do emoticon? Aqui está ela ;-)

Carinhas feitas com pontuação que deram origem aos emojis foram criadas nos anos 1980. Mas antes da era digital, outros escritores sugeriram soluções de escrita muito semelhantes

     

    É natural imaginar que os emoticons, os sinais gráficos criados a partir da pontuação como :-), :-( e ;-) e que deram origem às carinhas que hoje chamamos de emoji, foram inventados com o advento da comunicação digital.

    Em algum momento durante uma troca de SMS ou de mensagens em um canal de chat no fim dos anos 1980, os pioneiros a desbravar o mundo dos bits e bytes teriam visto a necessidade de criar uma maneira de expressar tom de voz e emoções.

    A história real é bastante próxima disso. Em 1982, o professor universitário Scott E. Fahlmann sugeriu, em uma mensagem eletrônica publicada no fórum digital da universidade, que piadas nos textos fossem acompanhadas de :-).

    "Leia com a cabeça inclinada", escreveu. E ele continuou: “Na verdade, faz mais sentido usar :-( para marcar as mensagens que não são piadas, considerando o contexto”.

    Esse episódio marca a invenção oficial dos emoticons na era digital. Nos anos seguintes, a internet saiu das universidades e das agências do governo norte-americano e ganhou o mundo - e, com ela, foram os emoticons, que se transformaram nos emojis que usamos hoje.

    Cem anos antes da internet, no entanto, os “ancestrais” dos emoticons que usamos hoje já apareciam em publicações e no debate entre escritores.

    Os embriões dos emoticons

    É curioso que marcas de pontuação consideradas parte da norma culta, como o ponto de exclamação e de interrogação e a vírgula, tenham surgido de uma necessidade parecida àquela que deu origem aos emoticons.

     

    Manuscritos em grego antigo e latim antigo eram escritos no formato conhecido como scripta continua: sem nenhum tipo de espaço ou pontuação.

    Ao longo da história, na medida em que aumentou a quantidade de material escrito impresso, escribas desenvolveram marcas para facilitar a leitura, como os espaços, e para aproximar a linguagem escrita daquela falada - ponto de exclamação, interrogação e vírgulas, por exemplo.

    Os emoticons também foram criados por Fahlmann em 1982 como uma maneira de aproximar a linguagem escrita da falada. Ele observou que uma piada pode não ser percebida sem um :-) na mensagem, por exemplo.

    E como isso já era um problema na comunicação escrita analógica, não é surpresa que embriões e tentativas de emoticons tenham surgido décadas antes.

    Um dos primeiros registros é de 1881, na revista satírica norte-americana “Puck”. O artigo, chamado “arte tipográfica”, sugeria expressar humor usando carinhas formadas por sinais gráficos encontrados no teclado da máquina de escrever.

    Depois disso, em 1912, o escritor estadunidense Ambrose Bierce cunhou uma espécie de sorriso tipográfico - que ele sugeriu que fosse usado em trechos irônicos ou jocosos: \__/. A ideia era aplicar a marca, criada para parecer um sorriso, depois do ponto de qualquer frase irônica.

    Além dessas investidas - que não fizeram muito sucesso -, outro autor importante tratou do tema. Em 1969, numa entrevista ao jornal “The New York Times”, o escritor russo Vladimir Nabokov expressou a necessidade de expressar sentimentos para além das regras formais da escrita.

    “Eu muitas vezes penso que deveria existir uma espécie de sinal tipográfico para um sorriso - algum tipo de marca côncava [...] que eu usaria agora para responder sua pergunta”, disse ao jornalista que o entrevistou.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: