Quando um plano de governo faz diferença, para o bem ou para o mal

Candidatos são obrigados por lei a apresentar suas propostas à Justiça Eleitoral. Quem decide detalhá-las durante a campanha marca pontos com o eleitor, mas também se torna alvo de adversários

     

    Campanhas servem para que candidatos exponham suas ideias e digam o que pretendem fazer caso sejam eleitos. Essas promessas podem ser feitas em comícios, reuniões, propagandas de rádio , TV ou por escrito. É aí que entram os planos de governo.

    Qualquer político que concorre a uma vaga de prefeito, governador ou presidente da República é obrigado a apresentar um plano para a Justiça Eleitoral. Na prática, ele acaba sendo bastante genérico, protocolado apenas por obrigação.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.