‘Manterrupting’: a prática sexista de interromper uma mulher quando ela está falando

No primeiro debate entre os candidatos à presidência dos EUA, Trump recorreu muito à prática. O que ela diz sobre a relação entre os gêneros

     

    Não interromper o adversário é uma das regras de qualquer debate moderado, mas o comedimento foi largamente deixado de lado na primeira peleja travada entre os candidatos à presidência americana, nesta segunda-feira (26). Em particular, pelo republicano Donald Trump.

    Segundo levantamento do “Quartz”, foram ao todo 51 interrupções feitas pelo candidato ao longo das falas de Hillary Clinton, ante 17 feitas por ela. O “Vox” contabilizou 25 intromissões fora de hora em 26 minutos - ao todo, foram 90 minutos de embate. Em um placar, a “Vice” contabilizou “35” interferências do republicano, contra “4” da democrata.  

    Junte-se ao Nexo!

    Fique informado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    Você pode cancelar quando quiser sem dificuldades

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.