Escola tradicional permite saias para qualquer gênero: as origens e a importância da iniciativa

O governo federal recomenda que alunos ou alunas sejam liberados para usar o que quiserem. Colégio Pedro 2º, no Rio de Janeiro, decidiu seguir a orientação

     

    Em 2014 uma aluna transexual com identidade de gênero feminina foi obrigada pela direção da unidade São Cristóvão do tradicional Colégio Pedro 2º, no Rio de Janeiro, a trocar a saia com que tinha ido estudar por uma calça.

    Como resposta, os colegas organizaram o movimento #VouDeSaia, e se vestiram com a peça. “Fiquei feliz com o apoio dos colegas e espero que isso possa servir de exemplo para que ninguém mais seja discriminado”, disse a aluna na época.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.