A carga tributária brasileira em 4 gráficos

Com crise e queda do PIB, parcela gasta com impostos cresce. Mas arrecadação de governos diminui

     

    Em 2015, ano de crise econômica, a carga tributária brasileira aumentou. Isso significa que o total arrecadado pelos governos municipais, estaduais e federais consumiu uma parcela maior do Produto Interno Bruto, soma de tudo que o país produziu. Segundo dados divulgados pela Receita Federal na terça-feira (19), os tributos correspondem a 32,66% do PIB de 2015. Em 2014, a arrecadação do poder público foi de 32,42% do PIB.

    Ao longo dos anos

     

    A carga tributária é a relação entre os tributos cobrados e o Produto Interno Bruto, soma de tudo que um país produz. E no caso brasileiro, um dos fatores para o aumento da carga foi a diminuição do PIB em um ano de crise. A retração na economia brasileira em 2015 foi de 3,8%, o que fez os impostos representarem uma parcela maior do total.

    Em valores reais, não houve aumento na arrecadação dos municípios, Estados e União. Descontada a inflação do período, houve uma diminuição na arrecadação em 2015. Mas como a comparação é com o PIB, que caiu, deu-se o aumento da carga.

    Valores totais

     

    Estados e municípios

    Prefeitos e governadores reclamam constantemente que o modelo federativo brasileiro privilegia a União. A distribuição dos tributos entre municípios, Estados e governo federal continua muito desigual. A União concentra quase 70% do dinheiro arrecadado em um quadro que pouco se altera.

    Nos últimos dez anos, o que mais mudou foi a situação dos municípios. Em 2006, as cidades ficavam com 5,11% do total. Agora têm 6,37%.

    Divisão

     

    O Brasil no mundo

    A carga tributária no Brasil está na média dos países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). A parcela dos recursos que vai para o pagamento de tributos pode ser comparada com a de países como Portugal, Canadá e Reino Unido, mais ricos e com Índice de Desenvolvimento Humano melhores que o brasileiro.

    Comparando

     

    A diferença do Brasil para esses países está na forma de tributação. O governo brasileiro é um dos que menos cobra impostos sobre renda e lucro de pessoas e empresas. São 5,85%, menos da metade dos 11,4% do Reino Unido, que tem carga semelhante. Por outro lado, o Brasil aparece entre os que mais tributam bens e serviços.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: