O que aconteceu entre o afastamento de Dilma e a votação do impeachment no Senado

Processo contra a petista volta a ser avaliado pelo plenário, após quase três meses de seu afastamento temporário. De lá para cá, gravações, delação e laudos surgiram, mas a situação política de Dilma pouco mudou

     

    Dilma Rousseff deixou a Presidência da República temporariamente em 12 de maio, dia em que o Senado decidiu afastá-la, por 55 votos a favor e 22 contra. Em seu lugar, assumiu como presidente interino o vice Michel Temer.

    A poucos dias de completar três meses fora do Planalto, a petista será novamente submetida a uma votação no Senado nesta terça-feira (9), que decidirá se Dilma deve ou não ir a julgamento para ser definitivamente afastada da presidência e ter seus direitos políticos suspensos.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.