Quem é o militar que recebeu a maior pena da Lava Jato até agora

Justiça Federal no Rio sentenciou a 43 anos de prisão o ex-presidente da Eletronuclear, vice-almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, responsável por projeto histórico da ditadura brasileira

     

    “Referência do Programa Nuclear Brasileiro”. “Influenciou mais de uma geração de engenheiros e oficias da Marinha brasileira”. Essas frases, que poderiam constar em qualquer material biográfico sobre o vice-almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, foram escritas para preceder o texto da sentença aplicada a ele pela Justiça do Rio, a mais dura até agora no âmbito da Lava Jato.

    O oficial da Marinha foi condenado a 43 anos de prisão pelo juiz Marcelo da Costa Bretas, consequência de crimes praticados por Silva quando presidiu a Eletronuclear, empresa subsidiária da Eletrobras. Ele foi acusado de receber propinas em troca de contratos firmados por empreiteiras com a subsidiária em obras da usina nuclear de Angra 3.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.