O novo Plano Diretor paulistano faz dois anos. Aqui está um balanço

Lei define diretrizes urbanísticas como altura máxima de prédios, quais regiões devem ser destinadas a moradia social e qual deve ser o modelo de transporte

    O atual Plano Diretor da cidade de São Paulo completa dois anos neste domingo (31). Ele é uma lei que define diretrizes urbanísticas, como a altura máxima de prédios, quais regiões devem ser destinadas a moradia social e qual deve ser o modelo de transporte na cidade.

    Todas as cidades do país com mais de 20 mil habitantes devem elaborar planos diretores, e renová-los a cada dez anos. Isso está definido no Estatuto das Cidades, uma lei federal de 2001. O primeiro Plano Diretor de São Paulo entrou em vigor em 2002, e o atual, em 31 de julho de 2014.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.