Como os filmes de Hector Babenco ecoaram na realidade

Diretor de 12 longas morreu na quarta-feira (13), aos 70 anos, após uma parada cardíaca

    Temas
     

    O último filme de Hector Babenco trata da vida. Ou, como ele definiu, de amor ao cinema. “Meu Amigo Hindu” é uma espécie de autobiografia não declarada sobre a história de um famoso diretor de cinema combatendo um câncer.

    Nascido na Argentina em 1946 e naturalizado brasileiro em 1977, Babenco teve câncer linfático na década de 1990. Morreu na quarta-feira (13), aos 70 anos, após uma parada cardíaca. 

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.