Como empresas apoiadas para virar 'campeãs nacionais' quebraram ou entraram na mira da Lava Jato

Oi entrou em recuperação judicial, presidente da J&F teve sua casa vasculhada por policiais e empresa do grupo EBX foi acusada de pagar propina para obter recursos públicos

     

    Os meses de junho e julho trouxeram más notícias a empresas brasileiras que cresceram com o apoio de dinheiro do BNDES. Três das companhias mais beneficiadas pela política de “campeãs nacionais”, conduzida de 2008 a 2013, se viram envolvidas em problemas financeiros ou judiciais.

    A empresa de telecomunicações Oi pediu recuperação judicial, a casa do presidente da holding J&F, Joesley Batista, sofreu busca e apreensão e uma de suas empresas, a Eldorado Brasil, virou alvo da Operação Lava Jato, e o grupo EBX teve uma de suas companhias citada como pagadora de propina para obter recursos do FGTS.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.