Brexit: por que nacionalismo e nostalgia pesaram mais do que o sonho de integração

Especialistas baseados em Londres analisam as causas e as consequências da decisão britânica de deixar a maior iniciativa de integração regional do mundo

     

    A escolha da população britânica por sair da União Europeia, sacramentada por um referendo realizado na quinta-feira (23) com resultados apertados - a diferença foi de quatro pontos percentuais pela separação - era tida como improvável pelo resto do mundo. Apesar das pesquisas prévias já apontarem um equilíbrio entre os dois lados, a confirmação do que ficou conhecido como ‘Brexit’ - do inglês British exit (saída britânica) - surpreendeu.

    Após 43 anos o Reino Unido deixa um projeto concebido, entre outros motivos, para criar um ambiente de paz e coesão após um século 20 marcado por guerras mundiais que destruíram boa parte do continente duas vezes.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.