Brasileiras recorrem a pílulas via correio para abortar. O que isso diz sobre o país

‘As mulheres que chegam a nós são exatamente as mulheres que as pesquisas mostram que abortam: todas’, diz ativista brasileira da organização Women on Web

A crise do zika vírus vivida pelas mulheres brasileiras a partir de janeiro de 2016 fez multiplicar a busca de informação no país sobre como conseguir um aborto seguro por meio de uma ONG chamada “Women on Web” (WoW).

O serviço internacional de apoio ao direito ao aborto responde diariamente a milhares de emails de mulheres do mundo inteiro, enviados a um endereço eletrônico, com informações sobre quais vias são possíveis para realizar um aborto seguro.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.