Ir direto ao conteúdo

Reforma política versus impeachment: as menções em discursos dos deputados de 2015 até agora

Análise das falas dos deputados mostra que menções a impeachment cresceram após rompimento de Cunha com governo

    Ferramenta de busca desenvolvida pelo Nexo que reúne todos os discursos dos deputados federais de janeiro de 2015 a abril de 2016 mostra a incidência de termos e palavras usadas em plenário.

    Na comparação de termos, é possível ver, por exemplo, como o debate da reforma política, discutida intensamente no ano passado, foi sendo substituído pela discussão do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

    O pico de menções à reforma política aconteceu em maio, quando foi votado em primeiro turno mudanças propostas pela comissão que discutia o tema na Câmara. As discussões sobre o tema se arrastaram até o início de julho e houve pouco avanço na legislação.

    O quadro se inverteu em agosto de 2015, logo depois de o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), romper oficialmente com o governo. A partir daí, as menções ao impeachment cresceram sistematicamente até atingirem o ápice, em abril de 2016, quando o caso foi votado em plenário.

    De janeiro de 2015 a abril de 2016, os deputados do PSDB foram os que mais falaram em impeachment (para defendê-lo), seguidos pelos parlamentares do PT (para rechaçá-lo).

    Os deputados petistas, por sua vez, foram os que mais citaram “reforma política” durante esse mesmo período.

    Esta é a ferramenta do Nexo. Faça você mesmo buscas e comparações de palavras-chave e termos:

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: