Ir direto ao conteúdo

Quais as vantagens e desvantagens das corridas coletivas no Uber

Passageiros que dividem carro com outros recebem grandes descontos, mas trajetos demoram mais e não são tão atraentes para os motoristas

     

    O UberPool, serviço do Uber de carona compartilhada, foi lançado em São Paulo sob o pretexto de abaixar o valor das corridas para passageiros e indiretamente contribuir para a melhora do trânsito, já que diminui o número de carros na rua.

    O lançamento, no entanto, gerou controvérsia. Nas redes sociais, passageiros relataram desconforto com algumas características do serviço e motoristas ainda não estão certos sobre as vantagens da nova tarifa.

    Em um grupo de motoristas do Uber no Facebook, há dezenas de reclamações sobre a tarifa baixa do UberPool, especialmente em casos nos quais o motorista não pega nenhum outro passageiro. Uma campanha sugere o boicote de corridas do gênero - o motorista não é obrigado a aceitá-las.

    Como funciona o serviço

    Carro compartilhado

    O UberPool é uma opção dentro da modalidade de viagem UberX (categoria mais barata de Uber). O usuário preenche o endereço de destino e recebe então duas opções de tarifa: a de “carro compartilhado”, ou UberPool, na qual o valor é fixo e custa até 40% menos que uma corrida normal, e a “seu próprio carro”, que exibe o preço estimado de uma corrida do UberX.

    Valor fixado

    Ao escolher a opção UberPool, o passageiro permite que o motorista pegue outros usuários que também tenham optado pela corrida compartilhada. Cada um deles vai pagar o valor fixado inicialmente, o que pode ser vantajoso para o motorista, que recebe até cerca de quatro vezes aquele valor.

    Trajeto maior

    Para fazer a coisa funcionar, o aplicativo faz um cálculo para garantir que os locais de partida e de destino dos usuários estejam dentro de um raio determinado. Os passageiros são deixados levando em conta a eficiência da corrida, e não a ordem em que entraram no carro. A corrida, portanto, acaba demorando mais do que se o usuário selecionasse a opção de UberX.

    O sistema não é vantajoso para o motorista se nenhum outro usuário entrar na carona. Se o passageiro escolher a carona compartilhada e o sistema não encontrar outro cliente indo pelo mesmo caminho, ainda assim ele paga o valor fixado do UberPool, que é até 40% mais baixo do que a do UberX. Nesse caso, o motorista recebe só por um passageiro e ganha 40% menos do que ganharia numa corrida normal.

    Outra reclamação dos motoristas ouvidos pelo Nexo é que os passageiros não estão sendo bem informados das particularidades do serviço de carona compartilhada. Por isso, chegam a se recusar a dividir o carro com outras pessoas - mesmo que tenham selecionado essa opção.

    “A ideia é ótima. A questão é só de acerto, tanto para o cliente como para o motorista. A Uber ainda não chegou num acerto legal para todos ficarem contentes com o sistema”

    Dario Rocha

    Motorista

    O UberPool é só mais uma entre as preocupações dos motoristas que, há meses, esperaram pela regulamentação do serviço. Sob protestos de taxistas, a Câmara de São Paulo barrou mais uma vez, nesta quarta (4), a votação do projeto que regulariza o aplicativo. 

    No mundo

    Desde o ano passado, motoristas do Uber ao redor do mundo têm se mobilizado para protestar contra a diminuição de taxas promovidas pela empresa - que barateia o serviço para o cliente, mas prejudica o lucro do condutor. 

    Profissionais estão frustrados com o tratamento que têm recebido, assim como com o aumento expressivo da frota de Uber na rua - indicativo da dificuldade da empresa em lidar com seu rápido crescimento.

    Em Nova York, a redução de 15% nas tarifas levou centenas de motoristas às ruas em pleno domingo da final do campeonato de futebol americano, o Super Bowl. O Uber diz que a diminuição, com o tempo, será favorável, já que aumentará a demanda por caronas. Na França, um grupo de motoristas se organizou em uma cooperativa e criou o próprio aplicativo de carona, após inúmeros descontentamentos com o esquema.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: