Como a demora do governo federal dificulta o acesso dos povos indígenas a suas terras

Demarcação tem várias etapas. Hoje, 14 terras estão na última etapa do processo - e algumas aguardam anos nessa fase

     

    Segundo dados oficiais obtidos pelo Nexo, uma área de 8.076 km² de terras indígenas, o equivalente a 5 municípios de São Paulo, aguarda os passos finais do processo de demarcação no Brasil. Todas já foram delimitadas por estudos da Fundação Nacional do Índio (Funai), algumas aguardam a aprovação do ministro da Justiça, Eugênio Aragão. E outras precisam apenas da canetada final, que é a homologação da presidente Dilma Rousseff.

    Essas demarcações podem ser atrasadas com processos judiciais ou pressão política. E o governo Dilma tem sido criticado justamente pela lentidão na forma como as tem conduzido. Há povos indígenas que aguardam há anos apenas a decisão final da presidente para terem plenamente assegurado o direito sobre suas terras.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.