As petições on-line podem fazer barulho, mas não parecem incomodar os políticos

‘Fora, Cunha’; ‘Fora, Renan’ e outros 'foras' articulados em plataformas virtuais se acumulam na internet sem dar em nada

     

    No seu ápice, em 2013, as plataformas de coleta de assinatura on-line pareciam uma forma simples, rápida e eficaz de acabar com o mandato de políticos acusados de corrupção. Bastava assinar, divulgar nas redes sociais, fazer barulho, engrossar o caldo de indignados virtuais e esperar para ver. Ninguém tinha certeza da eficácia da ferramenta, mas ela cumpria bem o papel de válvula de escape para a sensação de impotência de muitos cidadãos.

    Na maior campanha desse tipo, 25 manifestantes entregaram em Brasília, em janeiro de 2013, 1,6 milhão de assinaturas pedindo a saída de Renan Calheiros da presidência do Senado. Na ocasião, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) prometeu adotar medidas legais a partir da petição. “O Senado não pode virar as costas pra isso”, dizia. O movimento foi grande, mas Renan continua no cargo até hoje. Essa petição específica já nem está mais no ar, mas há outras semelhantes.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.