Muito além de novas eleições: estes são os cinco possíveis desfechos da ação no TSE contra Dilma

Regras eleitorais e teses em discussão abrem espaço para permanência de Michel Temer no Planalto até 2018, posse de Aécio Neves ou eleições indiretas para presidente

    A aprovação da admissibilidade do impeachment de Dilma Rousseff pela Câmara e o seu possível afastamento pelo Senado, até o julgamento final do caso, levaram setores insatisfeitos com a eventual posse do vice-presidente Michel Temer a reforçar a defesa pela antecipação das eleições presidenciais.

    Há dois caminhos em discussão que permitiriam que isso ocorresse. Um via Poder Legislativo, concretizado em uma Proposta de Emenda à Constituição assinada por 30 senadores. O texto estabelece uma nova eleição presidencial em outubro deste ano, junto com o pleito municipal, e seu vencedor exerceria o mandato de presidente por dois anos.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.