Por que o Reino Unido está preocupado com a pornografia

Livre acesso à pornografia online faz governo britânico emitir um documento que prevê “robustos controles” para o conteúdo sexual na rede

    Antes um nicho, a pornografia extrema e violenta foi assimilada pelo mainstream da pornografia on-line. Ela serve de divulgação para estupro e sexo agressivo, está cada vez mais acessível e é preciso proteger as crianças de sua influência. É isso que afirma um documento assinado por quadros do governo que integram o Conselho Britânico para Segurança Infantil na Internet. O relatório diz, ainda, que produtores de pornografia devem ter uma responsabilidade maior sobre o público.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Exclusivo para assinantes

    Tenha acesso a todo o nosso conteúdo, incluindo expressos, gráficos, colunistas, especiais, além de newsletters exclusivas com curadoria da redação. Apoie o jornalismo independente brasileiro de qualidade.
    Assine o Nexo.