Impeachment, Bolsonaro e Ustra. Um coronel da ditadura homenageado no Congresso

Coronel do Exército, morto em 2015, comandou órgão de repressão da ditadura e foi denunciado pela tortura e morte de dissidentes de esquerda

     

    Muitos deputados federais dedicaram seus votos, neste domingo (17), durante a votação da abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, a Deus e à família. Mas um deles, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), fez uma dedicatória diferente:

    “Contra o comunismo, pela nossa liberdade, contra o Foro de São Paulo, pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff, pelo Exército de [Duque de] Caxias, pelas Forças Armadas, o meu voto é sim”

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.