Por que você corre o risco de ser mal-entendido quando usa emojis

Comunicação está sujeita a falhas na percepção da mensagem - e também na maneira como o emoji é exibido em diferentes aparelhos

    Quando você usa um emoji para se comunicar com alguém, tem a intenção de passar um recado específico. Mas nada garante que o seu interlocutor receberá a mensagem que você tentou passar. Primeiro porque os emojis são abertos a interpretações variadas e subjetivas; depois, porque dependendo do sistema operacional do celular, eles são visualizados de forma diferente. Às vezes, bem diferente.

    Veja o caso deste sorriso, por exemplo:

     

    No iPhone, Facebook ou Twitter, ele emoji significa algo como um sorriso constrangido ou irônico. Já nos celulares da Samsung, LG e HTC, e no Google, ele vira um sorrisão aberto, sem duplo sentido. Bem propício para mal-entendidos.

    Pesquisadores da Universidade de Minessotta, nos EUA, estão debruçados sobre essa questão. Através de um questionário online, eles pediram às pessoas que interpretassem o significado dos emojis baseados em caras humanas mais populares em diferentes plataformas.

    Os entrevistados tiveram de dar uma nota que variava de -5 (muito negativo) a 5 (muito positivo) para classificar aquela expressão. Além disso, pediram que eles descrevessem o significado do símbolo. O resultado foi uma enorme variação:

     

    Para se ter uma ideia da discrepância, este mesmo emoji foi descrito como “muito feliz”, no Android, e “pronto para a luta”, no sistema da Apple.

    Veja como varia a forma e a classificação dos emojis em diferentes plataformas:

     

    Mesmo nos casos em que os participantes da pesquisa classificaram o mesmo emoji, na mesma plataforma, a interpretação variou 25%. “Nós identificamos um potencial de má comunicação muito significativo”, escreveram os pesquisadores.

     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: