A Suécia quer que você ligue para cidadãos de lá. Saiba por quê

Campanha do Ministério de Turismo transforma suecos aleatórios em embaixadores do país

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. Este conteúdo é exclusivo para nossos assinantes e está com acesso livre como uma cortesia para você experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Apoie nosso jornalismo. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Uma campanha do Ministério de Turismo da Suécia está promovendo a comunicação entre cidadãos suecos anônimos e moradores de outros países pelo telefone. A campanha comemora os 250 anos desde que o país foi o primeiro do mundo a instituir uma lei que proíbe a censura.

“Em tempos difíceis, muitos países tentam limitar a comunicação entre as pessoas. Nós queremos fazer o oposto.”

Magnus Ling

Secretário geral e CEO da Associação Sueca de Turismo

A ação divulgou um número de telefone que, quando discado por qualquer pessoa do mundo, conecta a chamada à casa de um “embaixador”, um cidadão sueco que se dispôs a participar do projeto.

Um dos efeitos esperados é incentivar o turismo para a Suécia, famosa pelas montanhas e pelo turismo de aventura.

Para falar com um sueco, basta discar +46 771 793 336. A ligação é paga, e sobre ela correm os valores de tarifas para ligações internacionais.

O Nexo ligou e, depois de quatro toques, uma voz feminina disse “Hello”. Conversamos por alguns minutos (em inglês) com a desenvolvedora de software Anna, de 45 anos, que mora no sul do país - “perto do mar”, ela disse, em uma cidade cujo nome não fomos capazes de reproduzir.

Anna vive em uma pequena cidade de 60 mil habitantes e contou que entrou para o projeto porque a ideia lhe agradou. “Aqui é muito bonito, especialmente no verão. Hoje o tempo está até que bom: está fazendo 12 graus”, contou.

Até agora, a campanha já resultou em 12 dias de conversas no total em mais de 7 mil ligações. Os países campeões em telefonemas são a Turquia e os EUA.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.