Quando o museu se torna lugar de criança

Resgatando ideário modernista, Museu de Arte de São Paulo subverte padrões para se abrir para o público infantil

    Temas
     

    Em abril de 2016, obras de Van Gogh e Renoir que pertencem ao acervo do Masp (Museu de Arte de São Paulo) foram rebaixadas. Elas sairam da altura tradicional de 1,50 metro e foram dispostas 30 centímetros abaixo, ao lado de fotografias, obras de artistas contemporâneos relacionadas à infância e desenhos infantis. Sem hierarquia.

    A exposição “Histórias de Infância”, que ficou em cartaz até 31 de julho, quis mostrar como a infância é representada e vista em diferentes épocas, suportes e contextos. Para isso, exibiu obras que retratam crianças de diferentes maneiras. Desde a escolha do que foi exibido à própria configuração das obras no espaço físico do museu, tudo levou em conta a perspectiva das crianças.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.