O carro de som que virou palanque de políticos no protesto anti-Dilma. E sem vaias

Movimento Brasil Livre reuniu parlamentares de oposição que fizeram discursos sem enfrentar hostilidade. Grupo tenta fazer pontes para lançar candidatos neste ano

     

    O ato da avenida Paulista, maior palco dos protestos realizados no domingo (13) contra Dilma Rousseff, foi caracterizado pelo apoio à Operação Lava Jato e ao juiz Sérgio Moro, por pedidos de saída da presidente, por coros contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e contra o PT e por uma animosidade até com líderes nacionais da oposição - o senador Aécio Neves e o governador Geraldo Alckmin, dois nomes do PSDB que almejam o Palácio do Planalto, foram hostilizados quando passaram por lá.

    Mas houve um carro de som em que muitos parlamentares puderam discursar sem serem vaiados. Foi no palanque montado na avenida pelo MBL (Movimento Brasil Livre), um grupo formado por jovens liberais na economia e essencialmente antipetistas na política. Antes refratário a políticos, o movimento vem criando pontes com a oposição institucionalizada e deve lançar candidatos a prefeito e vereador nas eleições municipais de 2016 (o plano é ter 200 nomes na disputa em 15 Estados do país).

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.