Como um único iPhone colocou a Apple contra o FBI e a Justiça americana

FBI quer que empresa quebre seu próprio sistema de segurança para investigar celular de atirador de San Bernardino. No entanto, medida impactaria smartphones do mundo todo

    Uma das empresas mais valiosas do mundo e a Justiça dos EUA estão batendo de frente. Na terça-feira (16), Tim Cook, CEO da Apple, escreveu uma carta aberta dizendo que não irá acatar ordem da corte federal que exige que a companhia burle seu próprio sistema de segurança.

    O FBI, que investiga um atentado que deixou 14 mortos em San Bernardino (EUA), quer que a Apple desbloqueie e quebre a criptografia do iPhone 5c, o smartphone que pertencia a Syed Rizwan Farook, o atirador do massacre.

    A polícia norte-americana, que considera o evento um ato de terrorismo, pretende investigar o aparelho para entender melhor as relações de Farook, que tem sido relacionado ao Estado Islâmico.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.