Fundo Partidário se torna mais importante do que nunca no jogo das coligações

Sem doações de empresas, rubrica de R$ 819 milhões para funcionamento das legendas ganha status na negociação de alianças para a disputa municipal de outubro

     

    O Orçamento de 2016 reserva R$ 819 milhões para o Fundo Partidário, 0,9% a mais do que o destinado em 2015. Esse fundo existe desde 1965 para custear o funcionamento das legendas e todos os anos o anúncio de seu valor provoca reações negativas em parte dos eleitores. Afinal, apenas 5% dos brasileiros confiam nos partidos, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas.

    O volume de dinheiro público destinado ao fundo só cresceu desde 1994, quando começa a série histórica do Tribunal Superior Eleitoral. A maior alta ocorreu de 2014 para 2015 — 136%, em valores corrigidos. A justificativa oficial foi compensar a proibição de doações empresariais a partidos e candidatos, determinada pelo Supremo Tribunal Federal em 2015.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.