De onde vem a moda de falar ‘gratidão’ em vez de obrigado

Descubra a origem do termo que se espalhou por legendas de fotos no Facebook e hashtags do Instagram

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Pode ser que você já tenha ouvido um “gratidão” como forma de agradecimento nos últimos tempos. Uma busca no Instagram mostra mais de 1,1 milhão de menções à #gratidão.

    No Google Trends, que mede a incidência de pesquisa pela palavra, dá para notar que, além dos previsíveis picos de menção em dezembro – no Natal e no Ano Novo –, existe um aumento gradativo na frequência da palavra ao longo dos últimos três anos.

    Veja o gráfico abaixo

    Gráfico que demonstra aumento gradativo da frequência do uso da palavra "gratidão".

    De acordo com Gabriela Gasparin, criadora do site Vidaria, um projeto que entrevista pessoas sobre o sentido da vida, o termo surgiu em grupos ligados à filosofia zen budista e à ioga. “A interpretação é que a palavra tem uma intenção melhor, já que, quando você está grato, não se sente ‘obrigado’ a nada”, explica.

    A ideia não é nova. O objetivo de substituir o “por favor” pelo “por gentileza” e o “obrigado” pelo “agradecido” já era uma ideia difundida há tempos pelo Profeta Gentileza, poeta morto em 1996 que fez história nas ruas do Rio de Janeiro.

    “Ninguém é obrigado a nada, e devemos ser gentis uns com os outros e relacionarmo-nos por amor e não por favor”

    Gentileza,

    poeta urbano carioca

    “Obrigado” é um termo simples: é usado para agradecer a alguém. Ele pode ter perdido o significado etimológico ao longo das centenas de anos, mas, na raiz, “obrigado” vem do latim “obligatus”, o particípio do verbo “obligare”, que significa “ligar”, “amarrar”.

    Dizer “obrigado”, na verdade, é dizer “fico-lhe obrigado”, ou seja, fico lhe devendo pelo favor. Gratidão, por sua vez, está ligado ao latim “gratia” – “graça”, literalmente – ou “gratus”, “agradável”.

    Falar “gratidão” em vez de “grato” dá, para os adeptos do termo, um efeito poético para o discurso: tira o sujeito da frase e se foca no sentimento como uma coisa maior. E faz sentido, claro. Mas “[Estou] grato” ou “[Fico] agradecido” também cumprem o mesmo papel.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.