Dez imagens aéreas mostram o estrago no Rio Doce após tragédia

Helicópero do Ibama sobrevoa 663 quilômetros e registra, em fotos, a devastação provocada pelo rompimento da barragem da Samarco, em Mariana

     

    Entre os dias 13 e 20 de novembro, um helicóptero do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Ambientais Renováveis) sobrevoou a região do Rio Doce, entre os Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, para registrar imagens do impacto provocado pela lama ao longo do rio.

    Com uma câmera GoPro, o helicóptero capturou imagens de dois em dois segundos em toda a extensão do rio, a partir do local em que ficava a barragem, próximo a Bento Rodrigues, distrito de Mariana (MG). A barragem da mineradora Samarco, de propriedade da brasileira Vale e da anglo-australiana BHP, se rompeu no dia 5 de novembro, despejando pelo menos 50 milhões de metros cúbicos de rejeitos de mineração sobre o pequeno distrito de Bento Rodrigues. 15 pessoas morreram e 8 ficaram desaparecidas. Depois, a lama escoou ao longo do Rio Doce, provocando uma tragédia ambiental sem precedentes.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.