A carta de Temer a Dilma, contextualizada ponto a ponto

Entenda a quais fatos e momentos o vice-presidente faz referência na mensagem encaminhada à presidente na qual diz que a petista 'nunca confiou' nele nem no PMDB

    A carta escrita por Michel Temer a Dilma Rousseff, tornada pública na noite desta segunda-feira (7), escancarou o mal-estar entre o vice e a presidente. Com o propósito, segundo ele, de reafirmar sua lealdade ao governo e negar que esteja conspirando para assumir seu lugar, o texto na verdade amplia ainda mais o distanciamento entre os dois neste momento em que a petista é ameaçada pelo impeachment.

    Temer, que assumirá o comando do país caso Dilma seja afastada, começa a carta com a expressão em latim "verba volant, scripta manent", cuja tradução é “as palavras voam, os escritos permanecem”. Momentos depois de o texto vir a público, a assessoria do vice disse que o conteúdo da carta era confidencial e que Temer não havia autorizado sua publicidade. Afirmou ainda que ele não propôs um rompimento com o governo.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.