Maio de 1968: as origens e os ecos do movimento

Protestos iniciados por jovens estudantes na França se espalharam pelo mundo e deixaram 50 anos de debates, embates, mudanças e frustrações

 

Vá ainda mais fundo:

Maio de 68: O Advento do Individualismo e da Heteronímia”, de Irene de Arruda Ribeiro Cardoso, professora do Departamento de Sociologia da USP

Os Panfletos em Maio de 68”, de Michel Demonet, sociólogo da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais de Paris

Sem Pão e Sem Rosas: de Feminismo Marxista Impulsionado pelo Maio de 1968 ao Academicismo de Gênero” de Renata Gonçalves, pesquisadora do Departamento de Ciências Sociais da UEL (Universidade Estadual de Londrina)

Movimento Estudantil no Brasil: Lutas Passadas, Desafios Presentes”, de Silene de Moraes Freire, socióloga da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante?

Entre aqui

Exclusivo para assinantes

Tenha acesso a todo o nosso conteúdo, incluindo expressos, gráficos, colunistas, especiais, além de newsletters exclusivas com curadoria da redação. Apoie o jornalismo independente brasileiro de qualidade.
Assine o Nexo.