‘Churchill & Orwell’: uma dupla biografia sobre a liberdade


Winston Churchill, político, filho de aristocratas, liberal conservador, aliado ao governo colonialista britânico. George Orwell, escritor, de classe média baixa, militante socialista e anti-imperialista. O ‘Nexo’ publica trecho do primeiro capítulo do livro que cruza as histórias dos dois nos anos 1930 e 1940 – mesmo que eles nunca tenham se encontrado

Em 3 de dezembro de 1931, um político inglês de 57 anos, ainda membro do Parlamento porém bastante malquisto no governo de seu próprio partido, desceu de um táxi na Quinta Avenida, em Nova York. Ele estava na cidade dando início a uma turnê de palestras, numa tentativa de recuperar parte da pequena fortuna que perdera na quebra da bolsa de valores dois anos antes. Sendo inglês, e talvez por estar absorto em seus problemas, ele olhou para o lado errado da avenida e não viu o automóvel que, a aproximadamente cinquenta quilômetros por hora, derrubou-o no asfalto e o arrastou por alguns segundos, quebrando-lhe algumas costelas e abrindo um talho em seu couro cabeludo. Tivesse morrido, ele hoje seria lembrado por poucos historiadores especializados na história da Grã-Bretanha do início do século 20. Mas ele sobreviveu. Seu nome era Winston Churchill.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante?

Entre aqui

Exclusivo para assinantes

Tenha acesso a todo o nosso conteúdo, incluindo expressos, gráficos, colunistas, especiais, além de newsletters exclusivas com curadoria da redação. Apoie o jornalismo independente brasileiro de qualidade.
Assine o Nexo.